Em comunicado a concelhia de Esposende, mostra o seu desagrado a propósito do Abate de Árvores e Obras no Lugar de Outeiro, Marinhas.

            Refere o PS Esposende que ”A Câmara Municipal de Esposende iniciou há perto de 4 anos obras de instalação de rede de saneamento no lugar de Outeiro, Marinhas, na zona envolvente à Capela de Nossa Senhora da Saúde, naquele lugar.

            Passados quase 4 anos, a Câmara em vez de se preocupar em prosseguir, e terminar, as obras de saneamento que deviam ter sido concluídas há cerca três anos, resolveu acelerar arranjos paisagísticos no local, pois daqui a alguns meses há eleições autárquicas, e a preocupação do presidente da Câmara é ser reeleito, o resto não lhe importa.

            Para isso, a Câmara resolveu construir a particulares um significativo muro em pedra, de elevado custo, em troca da cedência de alguns centímetros para alargamento da via, recuar o muro do espaço envolvente à Capela para criar alguns lugares de estacionamento e eliminar as árvores do Parque verde.

            Claro que o presidente da Junta de Freguesia, sacudiu as culpas, como é seu hábito, dizendo que não tem nada a ver com a decisão do abate das árvores pois o espaço pertence à Fábrica da Igreja (ele só tem a ver com dar presentes).

            Ora, quando a Junta de Freguesia era liderada pelo PS, a Fabriqueira nunca deixou sequer podar as árvores, e quando a Junta tentava fazê-lo para evitar o crescimento descontrolado e prejudicial dos Plátanos que lá existiam, os responsáveis máximos da Fabriqueira apareciam de imediato no local para impedir, dizendo que as árvores eram da Paróquia e a Junta estava proibida de lhes tocar para as podar.

            Agora que a Junta de Freguesia é do PSD, os mesmos responsáveis pela Fabriqueira resolveram podar as árvores “pela raiz”, destruindo o espaço, e a Câmara e a Junta, que não eram donas para podar as árvores, agora já se comportam como donas para pagar as obras no terreno envolvente à Capela, numa confusão entre responsáveis pela fabriqueira, PSD, Câmara e Junta, que começa em árvores e obras, e acaba num presente oferecido pela Junta que lhe custou €3.500.”

            Termina com um alerta – ”Apesar de não ter os estudos teológicos dos responsáveis da fabriqueira há um ensinamento de Jesus Cristo, que nuca se esquece nas relações entre política e religião:”

«Dai a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus»

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here