As novas operações de crédito à habitação voltaram a subir em outubro, em termos homólogos e em cadeia, ascendendo a 976 milhões de euros, o valor mais alto desde janeiro, divulgou hoje o Banco de Portugal (BdP).

O montante de novos empréstimos a particulares destinados à habitação em setembro tinha-se fixado nos 970 milhões de euros e, em termos homólogos, o valor de outubro fica também acima do montante apurado em outubro de 2019 (956 milhões de euros).

Segundo o BdP, em outubro os montantes de novas operações para consumo totalizaram os 391 milhões de euros (acima dos 388 milhões de euros de setembro, mas abaixo dos 527 milhões de euros de outubro de 2019) e os novos empréstimos para outros fins ascenderam a 156 milhões de euros (abaixo dos 183 milhões de euros de setembro e dos 284 milhões de euros homólogos).

Ainda de acordo com o banco central, em outubro a taxa de juro média dos novos empréstimos concedidos a sociedades não financeiras aumentou sete pontos base face a setembro, para 2,07%.

A taxa de juro das operações acima de 1,0 milhão de euros foi de 1,70% (1,77% em setembro) e a das operações abaixo de 1,0 milhão de euros de 2,31% (2,15% em setembro).

Nas novas operações de empréstimos a particulares para habitação, a taxa de juro média desceu 5.0 pontos base, para 0,87%, um novo mínimo histórico, pelo terceiro mês consecutivo.

Nos empréstimos ao consumo a taxa de juro média diminuiu para 6,43% e, nos empréstimos para outros fins, aumentou para 3,76% (em setembro estas taxas tinham sido de 6,63% e 3,20%, respetivamente), sinalizou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here